Necrose de orelha em suínos

Necrose de orelha em suínos

A síndrome de necrose da orelha (SNO)  possui causas multifatoriais, podendo ter origem bacteriana, viral ou fúngica.  A ocorrência é predominante em animais jovens, com maior frequência em leitões da metade final de creche e início de crescimento, tendo sido observada em qualquer tipo de produção, desde sistemas totalmente confinados até sistemas abertos.

As lesões de pele na região auricular e/ou a imunossupressão do animal são tidos como os principais fatores predisponentes que podem levar à manifestação da síndrome, principalmente quando associados a agentes infecciosos. Fatores estressantes, como a superlotação das baias e disputas entre os animais, aumentam as brigas e, consequentemente, provocam lesões auriculares iniciais.

Outra possível causa da SNO é a contaminação fúngica pelo fungo Claviceps purpurea, parasita de grãos como centeio, aveia e trigo, responsável pela produção da micotoxina Ergotoxin. Quando ocorre a ingestão de grãos contaminados com o fungo, a toxina alcalóide produzida causa necrose de extremidades, além de problemas reprodutivos. Os sinais clínicos surgem após vários dias do consumo da ração contaminada. A melhora da necrose tende a ocorrer após a substituição do alimento contaminado.

Como as causas específicas da SNO não são ainda bem esclarecidas, deve-se agir prioritariamente na correção dos fatores de risco, proporcionando conforto e bem-estar aos animais, e fornecer alimento com formulação adequada e de alta palatabilidade.

Fonte:
ainfo.cnptia.embrapa.br

Quer saber mais sobre esse e outros assuntos? Baixe o OINK e aprenda cada vez mais!


Baixe o app Oink e aprenda sobre assuntos relacionados
à suinocultura de forma inovadora e criativa!

googleplay
aple-store

 


Essa trilha conta com o apoio da empresa:

msd

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *