O DNA dos melhores da Suinocultura

O DNA dos melhores da Suinocultura

Você pode estar se perguntando: além de uma tonelada de números, o que o benchmarking gerado pela Agriness pode revelar sobre a suinocultura? Essa experiência brasileira de comparação entre diferentes granjas espalhadas por todo o país revela que a troca de informações sempre leva à melhoria. Mostra, também, que os suinocultores com a melhor produtividade têm características parecidas: dedicam-se à gestão e não dispensam o apoio de tecnologia – ou seja, enxergam claramente a importância de interpretar a informação e compartilham a preocupação em manter uma equipe altamente motivada. Se você ainda não faz isso, é bom dar os primeiros passos para fazer parte desse grupo de alta produtividade.

Outra importante revelação vinda do nosso benchmarking é que, analisando a evolução da suinocultura brasileira, fica evidente que a diferença de produtividade entre os primeiros e os últimos colocados no Campeonato melhores da suinocultura, não está condicionada apenas à qualidade de suas instalações ou genética. Havia um mito, no passado, de que só granjas novas conseguiriam obter produtividade de excelência e, também, que haveria uma determinada genética que se destacaria mais do que as outras. As informações do Melhores da Suinocultura comprovam que o que realmente decide a produtividade são as pessoas envolvidas no processo e a forma como elas utilizam as ferramentas de gestão.

Outra atitude que se destaca entre os bem-sucedidos é o esforço da equipe e dos gestores em manter o plantel reprodutivo e os alvos de coberturas sem variações bruscas. Em outras palavras, eles trabalham muito bem os pontos iniciais críticos da produção, mantendo essa produção dentro de um comportamento controlado. Você está lembrado do conceito de homogeneidade? Os melhores produtores aplicam esse conceito na prática, o que os permite identificar com mais facilidade e rapidez os gargalos de produção.

O benchmarking também não se acanha em contrariar limites zootécnicos. Em 2007, na primeira edição do melhores da Suinocultura, dizia-se no mercado que era impossível ir além de 31 leitões desmamados por fêmea ao ano. Em 2013, foram pelo menos duas dezenas de produtores que ultrapassaram essa marca – e um deles, inclusive, quebrou a barreira dos 34 leitões desmamados por fêmea ao ano. de novo, desculpem a repetição, os dados escancaram que o segredo das granjas de sucesso, Brasil afora, são as pessoas e o bom uso da informação. Não é por acaso que esses são os pilares do Pensamento+1.

Se interessou pelo Pensamento+1 e quer saber mais? Conheça o livro Suino.Cultura que escrevemos especialmente para difundir esse modelo de gestão para um número cada vez maior de profissionais da suinocultura.

Fonte: Suíno.Cultura: Como o Pensamento+1 pode transformar o seu negócio.

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *