O jejum de suínos no manejo pré-abate

O jejum de suínos no manejo pré-abate

O manejo de pré-abate começa no preparo dos animais ainda dentro da granja e abrange o preparo e a sua condução para o caminhão, o transporte, e – já no frigorífico, o desembarque e acomodação para o abate. Durante todas estas fases os suínos sofrem estresse pela interação homem-animal e também pela mudança de ambiente, o que pode comprometer seu bem-estar, e, consequentemente, a qualidade da carne. Para ajudar a reduzir o estresse em todas estas etapas, uma das práticas adotadas no manejo pré-abate é o jejum dos animais.

O jejum deve ser iniciado no período que antecede o embarque e transporte dos animais ao frigorífico, com a retirada total de alimentos sólidos (ração) da dieta, e garantindo o livre acesso dos animais à água. O tempo de jejum recomendado é de 8 a 12 horas, podendo variar conforme o sistema de produção, tipo de alimentação, tempo e distância de transporte. Contudo, o tempo total de jejum (do preparo do animal, na granja, até a insensibilização, no frigorífico) não deve ultrapassar 24 horas, pois acima deste tempo a qualidade da carcaça é afetada.

A prática do jejum evita vômito e congestão durante o transporte, o que pode ocasionar asfixia do animal. Assim, como os animais estão com seus estômagos vazios, é possível também reduzir a mortalidade durante o transporte. O jejum também facilita o abate dos animais e diminui as chances de contaminação da carcaça por bactérias (principalmente Salmonela sp.), já que reduz a quantidade de dejetos que chegam ao frigorífico. 

Assim como outros manejos no pré-abate, o jejum é uma prática de extrema importância. Por ser a etapa final da produção de suínos, a recuperação do produto que for prejudicado é extremamente pequena, justificando as técnicas de manejo para o bem-estar animal. Para o produtor, o jejum dos animais proporciona uma melhor qualidade do lote, sem comprometer o rendimento financeiro da granja. Já a indústria, ganha com a obtenção de um produto final de melhor qualidade para o consumidor e com maior retorno financeiro.

Fonte: DALLA COSTA, O. A.; DALLA COSTA, F. A.; LUDTKE, C.; CIOCCA, J. R. Manejo pré-abate de suínos na granja. In: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CRIADORES DE SUÍNOS, Produção de suínos: teoria e prática. Brasília, DF, 2014. p. 727-734.

Quer saber mais sobre esse e outros assuntos? Baixe o OINK e aprenda cada vez mais!


Baixe o app Oink e aprenda sobre assuntos relacionados
à suinocultura de forma inovadora e criativa!

googleplay
aple-store

 


Essa trilha conta com o apoio da empresa:

msd

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *