A forma invalida o conteúdo (por Everton Gubert)

Queridos amigos, recentemente estive conversando com uma excelente profissional de gestão de talentos. Fiquei quase duas horas ouvindo suas histórias, a jornada de desenvolvimento pessoal e profissional dela, os desafios que encontrou ao longo de sua vida, suas conquistas, enfim… Dentre tantas coisas que ela falou, uma frase marcou a nossa conversa pela sabedoria encerrada dentro dela: “A forma invalida o conteúdo”.

Uau! Sabe quando você escuta algo tão profundo, que faz tanto sentido e que você fica mudo, num silêncio ensurdecedor? Foi assim que me senti ao ser invadido e preenchido com tamanha verdade. Durante aqueles segundos de silêncio passou um filme na minha cabeça, com a retrospectiva de toda a minha vida profissional, especialmente sobre o meu papel e minha forma de liderar. Puxa, como eu queria ter ouvido essa frase lá no início da minha carreira. Não só isso – indo mais além – como eu queria ter ouvido essa frase ainda quando criança, para me guiar em minha vida pessoal também.

Fiquei lembrando de como fui um líder despreparado e quantos erros devo ter cometido por não ter tido esse conhecimento antes. Quão inadequado fui, quantos rompantes tive, por ter razão sobre algum conteúdo, mas tendo perdido toda a razão ao colocar os argumentos de uma forma completamente imprópria, muitas vezes dura, ríspida, tudo em nome de ter razão. E mesmo que tivesse razão em muitas das vezes, hoje tenho certeza que meus interlocutores não prestaram atenção no conteúdo, mas sim na forma torta e inadequada como estavam recebendo.

Enquanto desenvolvemos nossa liderança e vamos nos tornando melhores, em muitos episódios somos engolfados pelo nosso ego, pela nossa prepotência, mesmo que inconscientes disso. Lembro de alguns episódios onde liderados fizeram a coisa errada, pisaram na bola, e eu, com toda a razão do mundo, perdi toda a razão do mundo, porque os abordei dando bronca.

Lembro também de reuniões que fiz com o objetivo de passar um recado de alinhamento a toda a equipe, transmitir algo super legal e profundo, mas me deixei levar pela tentação de dar uma alfinetada em uma determinada pessoa e provoquei, através da forma como conduzi, uma alfinetada em toda a equipe, que na maioria não merecia aquele recado.

Sem dúvida todos esses episódios serviram para o meu desenvolvimento, para quem sou hoje e para aprimorar a minha forma de liderar. Mas depois de ter ouvido esse ensinamento, confesso que queria muito voltar no tempo e fazer diferente. Como isso não é possível, o que tenho feito é praticar da melhor maneira possível o que aprendi e compartilhar com vocês esse conhecimento simples, mas muito profundo, para uma liderança mais assertiva.

Uma das principais ferramentas da liderança é a comunicação. Para que você possa alinhar sua equipe com um propósito, mostrar um caminho, uma orientação, transmitir um valor e, especialmente desenvolver o melhor nas pessoas (missão número um de um líder inspirador), é essencial saber se comunicar – ou melhor, saber usar a forma correta de comunicação. Tudo isso porque as pessoas vão esquecer o que você falou, vão esquecer o que você fez, mas não vão esquecer o que você as fez sentir. E a forma como você se comunica tem tudo a ver com o sentimento que você irá marcar nelas.

 

Fonte:
Artigo de Everton Gubert, CEO da Agriness, para sua coluna “Ponto de Partida” na Revista Feed&Food. Publicado na edição de dezembro de 2019.

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *